sábado, abril 07, 2007

Serra da Arrábida - "Um paraíso à beira-mar plantado..."

5 de Abril de 2007







Introdução:
As três vertentes da Serra da Arrábida... 89 Kms pedalados... 2.000 mts de acumulado... 18% de inclinação máxima...


Véspera de sexta-feira santa. Decido, tomado pela “loucura dos cumes”, ir carpir os meus pecados pela Serra da Arrábida, distrito de Setúbal.
Indeciso entre iniciar a volta em Sesimbra ou no Portinho da Arrábida, decido pela primeira opção, não resistindo à tentação de experimentar as fortes pendentes da vertente nascente (Alto da Califórnia) deste povoado piscatório.




Monto o “cavalo” perto do Castelo de Sesimbra e desço até ao Forte de Santiago, bem no centro da vila. O mar está calmo e a vista desta bela enseada nunca se torna cansativa por muitas vezes que se vislumbre…
Calibro a altitude do meu Hac e arranco logo pela “parede” do Hotel Espadarte. Vou ganhando metros por entre as casas aglomeradas em tão exíguo espaço urbano e a paisagem vai-se abrindo… Após tornear a curva a 18% na zona dos condomínios a paisagem sobre o oceano fica totalmente “desimpedida” de obstáculos, permitindo uma ascensão muito agradável, apesar de fisicamente exigente. O vento vai soprando de forma desordenada, pelo que umas vezes parece empurrar para o cume, outras puxar para o sopé da encosta.
No topo do Alto da Califórnia a inclinação acentua-se permitindo meter “peso” e “galgar” metros rapidamente. Á direita apresenta-se o sublime maciço calcário da Serra da Arrábida.



Viro para Sampaio, trespasso Maçã a grande velocidade e chego rapidamente a Casais da Serra, onde se inicia a ascensão da vertente mais longa da serra que, vista desta zona, é muito bonita. Totalmente desarborizada, mostra-se imponente e agreste não escondendo a erosão dos ventos e da salinidade do mar. Ao invés, ao transpor as primeiras rampas que se seguem à aldeola, expõe-se à direita a “desconhecida” Serra do Risco, precedida de um imenso arvoredo e aprazíveis prados.
Após um quilómetro com alguns “repechos” duros, vou rolando a boa velocidade até ao cruzamento para o Portinho da Arrábida. Continuo em frente e os metros acumulados vão-se somando lentamente nesta fase. Contudo, ao passar o Convento, ataca-nos uma longa rampa...



...de 1,3 Kms a 10% de inclinação média que nos leva ao topo da serra.
As vistas para o mar são de uma beleza indescritível e o som das imensas aves que me circundam fazem-me desfrutar deste lugar natural em todo o seu esplendor.



Depois sigo pela crista da serra, com paisagens para os dois lados da mesma. Aqui o vento sente-se sobremaneira. Paro aqui, ali, acolá; vou tirando umas fotos e deliciando-me com as vistas…



Vou descendo pela vertente oposta,






até ao Outão, dando uma vista de olhos pela zona do parque de campismo que me parece muito degradada…
Inicio então, a ascensão pelo lado da cimenteira.
Após uma zona com diversas curvas em ferradura a subida torna-se muito regular, oscilando entre os 7-8%. O asfalto está em muito bom estado o que facilita muito a progressão. Consegue-se um ritmo bastante elevado e contínuo, consequência da pendente regular.



De novo no topo, troto o cume a boa velocidade e inicio a descida, dirigindo-me ao nível do mar, desta vez para a bela praia do Portinho da Arrábida, na qual dou um curto passeio.



Aproveito para atestar o bidon na esplanada local e lá vou eu, de novo, vagarosamente, pelas inclinadas rampas desta vertente (logo no início um curto “repecho” a 18%, para abrir o apetite…), sem dúvida a mais dura e irregular da Serra da Arrábida. Até ao cruzamento Arrábida-Outão há alguns “repechos” inclinados, mas é após este que surge um troço de 1,5 Kms (10% de inclinação média) com consecutivas rampas a 14%. E as más condições do asfalto até ao cruzamento de Casais da Serra tornam a subida ainda mais exigente. Aqui, a paisagem é quase inexistente devido à elevada densidade arbórea. No cruzamento viro à direita, subindo de novo o quilómetro final entre o convento e o topo da serra, acima dos 10%.




Já com a fadiga a fazer-se sentir, tiro umas últimas fotos e desço rapidamente até Casais da Serra.

(Monte Abraão - 383 mts)


A temperatura está a baixar e o sol ameaça esconder-se por detrás dos topos de Sesimbra.
Meto a “bichana” a “bufar” a 30 à hora e chego a Maçã já a raiar o lusco-fusco, pelo que acendo os led’s que trouxe comigo. O troço até Sampaio torna-se difícil, pois as minhas “amigas” (cãibras) dão sinal de vida o que me obriga a imprimir uma pedalada “redonda” e controlada…
Já em Sampaio a tentação de rumar directamente ao Castelo, onde tenho o automóvel estacionado, é enorme, mas lá decido descer a vertente nascente testando a minha força de vontade para o que se seguirá...
De novo em Sesimbra, ao nível do mar, arranco do Forte em direcção ao Castelo. A coisa vai “sobre rodas” até à estação de serviço. Depois…
… vem o calvário!!
Atacado pelas cãibras mas, orgulhosamente, não querendo pôr pé no chão, prossigo muitíssimo devagar, em 30x24, amaldiçoando esta teimosia de querer subir mais este cume…
A rampa parece não mais acabar e aqui preciso mesmo de alguma capacidade de sofrimento e muita tenacidade para vencer os “míseros” 7% de inclinação contínua.
Viro à esquerda para o Castelo e, sempre em 30x24, vou pedalando com imenso custo…
Entretanto, uma sensação de frescura e rejuvenescimento originada por saber que já não falta muito, permite-me aumentar a cadência e atingir as portas do Castelo em bom ritmo, apesar da rampa final atingir os 13%!! Ufff… Custou, mas foi!!




Dirijo-me ao meu automóvel, dando por finalizado mais um espectacular “martírio dos cumes”. Ainda ando para ali tipo galinha, aos saltos, com duas ou três cãibras mais atrevidas que me assaltam quando desmonto… Mas, nada que uns alongamentos não tenham tratado.


Dados de altimetria (por ordem percorrida):

Sesimbra nascente (Alto da Califórnia): distância – 3.850 mts; altitude – 220 mts; desnível – 214 mts; pendente média – 5,6%; pendente máxima – 18%; Km mais duro – 9%; Coef APM a cada 100 mts - 57.

Serra da Arrábida (Casais da Serra): distância – 7.670 mts; altitude – 392 mts; desnível – 279 mts; pendente média – 3,6%; pendente máxima – 13%; Km mais duro – >10%; Coef APM a cada 100 mts - 85.

Serra da Arrábida (Outão): distância – 7.600 mts; altitude – 392 mts; desnível – 355 mts; pendente média – 4,7%; pendente máxima – 11%; Km mais duro – >8%; Coef APM a cada 100 mts - 79.

Serra da Arrábida (Portinho da Arrábida): distância – 7.720 mts; altitude – 392 mts; desnível – 389 mts; pendente média – 5,0%; pendente máxima – 18%; Km mais duro – >10%; Coef APM a cada 100 mts - 119.

Sesimbra (Castelo): distância – 3.260 mts; altitude – 220 mts; desnível – 215 mts; pendente média – 6,6%; pendente máxima – 13%; Km mais duro – > 7%; Coef APM a cada 100 mts - 49.


Informações diversas sobre a Serra da Arrábida: http://www.azeitao.net/arrabida/pna/arquitectura.htm

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Há muitas formas de desperdiçar tempo inútilmente e esta é sem dúvida uma delas.

Estrada...
Ainda por cima a subir...

Enfim... coisas de gente fraquinha
ou então
estranhas formas de vida como dizia a Amália

resultado:
2 dias depois veio andar conosco e levou uma trépa!!

Pedro Lopes

segunda-feira, abril 09, 2007 8:10:00 da manhã  
Blogger pintainho said...

Oi camarada! Nem sei como já tens força para teclar!! Quando tivemos de aguardar por ti, longos minutos, no Alto do Andrade, parecias mesmo muito, muito fraquinho!! :-) Realmente, estava complicado acompanhar-vos nas imensas descidas escolhidas por esse rapazinho (Biker) que ainda aparenta ser mais fraquinho do que tu (incrível…) … Vá lá que ainda apareceram os Cow-Boys, o Campo de Tiro e o Alto do Andrade para vos poder ver a arrastar a língua pelo trilho!!! Eh, eh. E no domingo, com os fraquinhos de Stº António, safaste-te?

segunda-feira, abril 09, 2007 9:21:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Para informação desse franganote este caminho e memso muito bom , a subir e que se faz exercicio e para alem disso tem boas descidas para podermos relaxar as pernas , uma vista fantastica , e mesmo um paraiso a beira-mar ! e ja que es assim tao bom porque nao fazes este percurso ?! Fica o Convite !

Boas

segunda-feira, março 24, 2008 6:13:00 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home

visitor stats
Motorola Razr
Phoenix Ancient Art